sábado, 20 de julho de 2013

HISTÓRIA DE BÁBÁ


Era uma vez um devoto recém-iniciado que tinha um complexo de
inferioridade porque era analfabeto. Ele pensou que Baba só falava com os
devotos intelectuais. Até que houve um dia em que teve a oportunidade de ir ao
Darshan (discurso) de Baba numa cidade próxima.
Depois de horas de
espera de pé sob um sol escaldante, Baba finalmente apareceu. Baba transmitia
uma visão de esplendor, ele tremia e, (sem se aperceber), lágrimas de alegria
despertaram nos seus olhos. Depois, Baba levantou as mãos juntas, com os olhos
a radiar um amor tão intenso e carinhoso (além dos mais doces sonhos do
devoto), e virou-se lentamente dando namaskar a todos.
Um suspiro coletivo de emoção saiu da multidão enquanto que o
sorriso intoxicante de Baba brilhava através de tudo. Depois, ao longo da
palestra de Baba, o devoto sentia as palavras de Baba sendo derramadas como uma
primeira chuva de monção, e ele sentiu que cada um dos olhares de Baba para o
público eram feitos só para ele, até que, vencido pelas poderosas vibrações
espirituais, entrou em profunda meditação.
Mais tarde, durante o dia, ele viu um grupo de devotos
instruídos em pé à espera de Baba. Ainda alegremente intoxicado com a memória
do sorriso doce de Baba, ele mudou-se espontaneamente para a frente, para a
porta de Baba. Em seguida, quando percebeu o que estava a fazer, mudou-se para
trás, para o lado do caminho.
Quando Baba saiu,
passou por toda a gente e andou em linha reta até ao devoto. Carinhosamente
apanhou o seu queixo, e perguntou-lhe docemente: “Meu menino, como estás?”.
Baba perguntou então sobre cada um dos membros da sua família, (Ele sabia todos
os seus nomes!) O devoto, engolfado com enormes ondas espirituais, engasgado e
com os olhos em lágrimas, não conseguia responder com uma única sílaba. Com um
sorriso sublime final, Baba saiu, deixando o devoto ainda de pé extasiado.
Depois de deixar o
Baba, a emoção do Seu discurso durou muitos meses. Então, como ele se aproximou
de Baba na sua meditação, a sua alegria espiritual deu-lhe a coragem de tentar
estudar. Mas ainda assim, de vez em quando, o seu antigo complexo de
inferioridade iria atacá-lo com a dúvida de si mesmo.
Dois anos e meio
depois, Baba estava em turnê na cidade natal deste devoto em Mansi, Bihar.
Embora ele fosse um funcionário pobre da companhia ferroviária, Baba insistia
em ficar só na casa dele. Naquela época, a sua dúvida em si mesmo era tão forte
que ele estava evitando todos. Então foi-lhe dada a oportunidade para trazer
água para Baba após a refeição do meio-dia. Quando ele trouxe a água para
dentro da sala, ele estava tão preocupado que sem pensar, expôs a sua dúvida
como uma criança pequena dizendo: “Baba, na Ananda Marga toda a gente é um
intelectual”.
Fechando os olhos
ligeiramente e inclinando-se para trás, Baba disse lentamente com uma
ressonância extasiante: “Sim, todos exceto tu e eu”.

Nenhum comentário: